Número total de visualizações de página

sábado, 30 de abril de 2011

DIA DA MÃE




Caros Leitores:

Amanhã comemora-se o dia da Mãe este ano decidi colocar aqui uma carta enviada ao “Jornal O Amigo do Povo” e que me foi dada por uma grande amiga.
Para mim, dia da mãe é todos os dias e ao ler esta carta, não fiquei alheia ao que diz, por isso aqui deixo para que todos os filhos possam reflectir no conteúdo da mesma.




Clique em cima da carta para a poder ler em formato normal.













FELIZ DIA PARA TODAS AS MÃES DO MUNDO

quarta-feira, 27 de abril de 2011

AS BOAS FESTA NA NOSSA ALDEIA - CORTECEGA.

Na minha aldeia ainda se mantém a tradição da Páscoa dos nossos antepassados. Assim no Domingo passado por volta das 19 horas lá estavam as pessoas da aldeia à espera dos Senhores que vinham dar as Boas Festas e comemorar a ressurreição de Jesus Cristo.

Toda a gente da aldeia se juntou para acompanhar o compasso de casa em casa, que este ano teve uma novidade: em cada casa foi lida e deixada uma oração enviada pelo nosso padre Carlos, a qual cito:
“Pai Santo, derramai a vossa bênção sobre esta casa e os que nela habitam, para que não lhes falte a saúde, a paz, a alegria e o pão de cada dia Amem”.


No final fomos todos rezar uma oração à capela em honra da nossa senhora mãe de Jesus que tanto sofreu ao ver o seu filhoses o ser crucificado por nós: A qual transcrevo:
“Senhor,
Nós agradecemos a tua generosidade pela vinda à terra, exemplo e doutrina que nos deixaste e sobretudo pela tua entrega por nós.
Ajuda-nos no dia-a-dia a amar-vos mais, a amar-vos acima de todas as coisas, para um dia ressuscitarmos gloriosamente e vivermos contigo para sempre.
Maria Santíssima seja sempre nossa Advogada….Pai Nosso e Avé Maria.

De seguida fomos à casa de convívio onde nos esperava um lanche e filhós acabadas de fazer. Quentinhas estavam uma delicia…
Foi um resto de tarde maravilhoso, de alegria e convívio, não fosse ali a minha aldeia. Mais uma vez vai ficar na minha memória este dia.
Para os visitantes e amigos deste blog., aqui ficam algumas fotos. Clique em cima das mesmas para ver em tamanho normal.


A chegada do Compasso....


As entradas das casas enfeitadas de rosmaninho e alecrim.


Primeiro entram as pessoas, depois o compasso...


O saco do Dinheiro e a bênção da 1ª casa: A dos meus Padrinhos.


Na sala da casa da minha familia na aldeia.....


Sr. Vitó a descansar.... Pelas Ruas da Aldeia....



A caminho da capela ... Toca o Sino....



As filhós, quentinhas e um saboroso lanche de convivio.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

MARINHEIROS REÚNEM-SE EM GOIS (CORTECEGA)

Queridos Amigos!

É com muita alegria que no dia 30 de Abril de 2011 a Associação Desportiva e Cultural de Cortecega, vos recebe nas suas instalações nesta linda aldeia.
Estamos muito gratos pela vossa escolha e pelo prazer que nos dão em se virem deliciar com os cozinhados simples, mas muito saborosos que as gentes de Cortecega já nos habituaram. Podem também contar com a boa disposição e alegria contagiante e o voluntariado destas gentes.

P.S: A Presidente da Associação “ Tia Celeste” precisa da ajuda de todos na preparação do almoço. Assim deixo aqui um pedido (em nome da mesma) para estarmos presentes e ajudar no que for preciso como tem sido hábito. Para tal devem confirmar, se possível, esta mesma ajuda até ao dia 26/04/2011.

Feliz Pascoa para todos.



___________________________________________________________


Noticia publicada no Jornal Varzeense de 15/04/2011


segunda-feira, 18 de abril de 2011

VOTOS DE UMA FELIZ PÁSCOA

Em meu nome e da Associação Desportiva e Cultural de Cortecega, e dos seus habitantes, a todos uma:

sábado, 16 de abril de 2011

Reflexão em tempo de preparação para a Páscoa


Ao iniciar a missa deste domingo, Um dos párocos da paróquia a que pertenço (Algueirão Mem-Martins e Mercês) o padre Luís iniciou a missa dizendo:


Quem planta semente, colhe alimento;

Quem planta flores, colhe perfume;

Quem semeia trigo, colhe pão;

Quem Planta amor, colhe amizade;

Quem semeia alegria, colhe felicidade;

Quem semeia fé, colhe certeza;

Quem semeia carinho, colhe gratidão;

Quem semeia a verdade, colhe a confiança;

Quem planta a vida, colhe milagres.



Para os visitantes deste blogue, com carinho e amizade, aqui fica a minha reflexão sobre estas palavras em poesia, com as quais me identifico profundamente e me fazem pensar e reflectir.

A semente germina
Ao ser colocada no solo
A todos dá alimento
Ao nosso corpo dá consolo

As plantas dão o perfume
A flor transmite uma fragrância
Assim é a nossa vida
Sempre feita de esperança

Quem não esquece e semeia
O trigo e milho com sua mão
Tempos mais tarde
Dali recolhe o seu pão

Amor Tu que és a luz.
A luz que raia do céu
Que à amizade conduz
Prazeres que a vida nos deu.

Quem planta a amizade
Enche o coração de alegria
É enorme a felicidade
De sentir a sua magia

A fé move montanhas
Dá alegria, colhe certeza
Se nunca nos faltar a fé
Vivemos com mais firmeza

A amizade é como um jardim
A cultivar com ternura
Regado com pingos de carinho
Amizade floresce com doçura.

Quem semeia carinho
Colhe a gratidão
Dá paz aos outros
E ao seu próprio coração

Quem semeia a verdade
Tem sempre o dom da realidade
Colhe confiança
É um ser de lealdade

Temos dons e talentos
Procurando a paz merecida
Podemos afastar os lamentos
Somos um milagre da vida.


Com votos de uma santa Páscoa
Eugenia Santa Cruz
10-04-2011

terça-feira, 12 de abril de 2011

A FAMILIA

Dia da família é todos os dias
Dias de perdão e união
Que todas as famílias do mundo
Tenham paz no seu coração

As palavras do pároco Luís
Na homilia da missa deste domingo
Entraram no coração de todos
E fizeram-me pensar o que sinto

Muitas vezes chegamos a casa
Cansados, sem vontade de falar
Mas se alguém diz alguma coisa
Pomo-nos logo a gritar

Não nos damos tempo
De ouvir o nosso coração
Ralhamos uns com os outros
E muitas vezes ninguém tem razão

A palavra perdoar, compreender
Foi-nos tramitada pelos nossos pais
Mas é tão fácil julgar
Sem pensar nos demais

Quando através das suas palavras
O padre Luís perguntou
Quem já não chegou a casa
E nem para o outro olhou!

Desculpamo-nos com o trabalho
O stress do dia-a-dia
Com os momentos de crise
Não mostrando alegria

Mas se olharmos em redor
E pensarmos na família que temos
Com os seus defeitos e virtudes
Muito mais felizes seremos!

De costas viradas para o outro
Passamos anos zangados
Não será fácil, mas devemos tentar
Esquecer momentos malfadados


Poema de:
Eugénia Santa Cruz
2011

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"