Número total de visualizações de página

terça-feira, 17 de novembro de 2009

QUEIJO DE CABRA E O SEU ESTRELEQUE (soro) "7º. Capitulo"

Mais uma pequena historia que me lembro dos meus tempos de criança.
Naquela época havia grandes rebanhos de gado nesta aldeia. Todas as pessoas tinham as suas ovelhas ou cabras, ou para venderem os cabritos e os cordeiros, ou para consumo próprio. Era um dos poucos rendimentos existentes.


Bem, mas havia um rebanho que se destacava, pois chegaram a ser 150 cabras ou mais, era o do “tio Zé Alves” como a gente lhe chamava, homem de poucas falas. Lembro-me também que chegou a ter uma junta de bois e uma burra.
A junta de bois servia para lavrar os seus campos e dos restantes aldeões.
Voltando às cabras! O curral dos animais era perto da minha casa, então logo bem cedo, lá vinha a “tia Casilda” esposa do tio Zé Alves carregada de cantaras de latão para levar o leite que ordenhava das cabras para fazer os seus belos queijos.
Tirava-se o leite à cabra. O coalho deixado de molho de um dia para o outro era coado, para dentro do leite, fazendo então, o queijo de cabra.
O queijo é produzido pela coagulação do leite. O leite coalhado é a parte sólida resultante da coagulação do leite. A coagulação é obtida usando uma enzima designada coalho.


Nos campos nascia uma flor chamada cardo de flor branca (raro) e lilás. Lembro-me de ver esta flor no quintal da minha tia Hermínia e no da tia Cassilda. Esta flor possuía actividade coagulante. As flores eram colhidas no Verão, sendo guardadas em locais secos, para a sua utilização durante o Inverno.
Depois de mungido (ordenhado) das cabras, nos estábulos ou currais, o leite era coado por panos brancos e limpos, e depois juntavam-se uns centilitros de água na qual eram dissolvidas, umas gramas de coalho, na proporção do leite que tinham para coalhar.



Passado 2 a 3 horas está pronto para fazer o queijo numa bacia ou francela de madeira. É espremida a coalhada dentro de assinchos (folha de alumínio esburacada), pelos orifícios destes era tirado o soro e o ar. Depois de feito era adicionado sal a gosto para conservar, no dia seguinte era voltado de baixo para cima e levava a mesma quantidade de sal. Era depois colocado a enxugar nas queijeiras durante 15 dias, sendo voltados todos os dias.


Quando enxutos eram colocados em cestas com palha para secarem bem. Alguns depois de secos eram barrados com azeite e colorau (pimentão doce) e deitados dentro de um pote de barro em azeite, assim conservavam-se e ao longo do ano sempre que fosse necessário lá estavam eles com um sabor delicioso.
O liquido que saia pelos orifícios o soro, nós chamávamos estreleque ou almeçe e estávamos todos os dias a espera (digo estávamos porque na aldeia muitos gostavam) que a “Tia Casilda” acabasse de fazer o queijo para nós lá irmos buscar este precioso liquido, o qual se juntava pão ou broa e era muitas vezes uma das nossa refeições. Lembro-me chegar da escola e de o ir buscar, ou vir dos campos onde andava no cultivo, por vezes longe, de propósito para vir buscar o estreleque ou almeçe e assim fazer a refeição ou do almoço ou lanche.

Bem, mas como o gado saia para as serras era preciso haver sempre alguém atento, um pastor para tomar conta delas, mas por vezes o tio Zé Alves deixava-as nas encostas e aproveitava para cuidar do cultivo do campo.
Mas, para que isto fosse possível, os animais tinham de estar identificados, para isso existiam os chocalhos.


Os chocalhos são uma espécie de campainha que se põem ao pescoço de alguns animais, como ovelhas e cabras, para denunciar a sua presença. A colocação de chocalhos nos animais, permite ao pastor localizá-los mais facilmente, sendo muito útil para recuperar os animais perdidos ou aqueles que se costumam afastar.
A matéria-prima utilizada para a confecção é o bronze, liga de cobre e de estanho que é empiricamente preparada pelo artesão, que outras vezes recorre à fundição de velhas e inúteis campainhas trazidas por lavradores e pastores.
Previamente o artesão constrói moldes de madeira da peça que tenciona fabricar: chocalho ou campainha de qualquer dimensão e vária sonoridade, meias campainhas, guizos...
Mas lembro-me de ver o Tio “Zé Alves” a fazer os chocalhos para o seu gado, fazia-os de latões velhos e outros materiais.

A qualidade do queijo vem da época da ordenha, pois de Outubro a Março era a melhor e era o que se guardava para sustento da casa até à nova época.


O leite de Abril a Setembro é comido (bebido) mais fresco. Os queijos devido às flores das ervas e dos matos saiam mais arrendados e não eram tão saborosos. Quem sabe apreciar acha-lhe a diferença.

Bem e aqui fica mais uma pequena história do passado

2 comentários:

MJ FALCÃO disse...

Querida Eugénia! Adorei a explicação de como se fazem os queijos! E fiquei a saber do "estreleque" que deve ser bem bom.
Fazes muito bem em contar isto no teu blog: ensinas!
Tudo bem? Olha, estou em Londres!
o falcão

noticias disse...

McCann Unravels. "Los MCcánn nó són víctimas són verdúgos"

"ENCUBRIENDO EL MALTRATO INFANTIL ABUSOS SEXUALES Y ASESINATO en primer grado" "UN SPSICÓPATA"
Gerry MCcann es pederásta y no le ímporta que sea niño o niña lo que les interesan a los pederastas es su infáncia. LA JUSTICIA CUMPLE SE REHABRE EL CASO . SOS: EL RESCATE, DE MADELEINE (MCCANN) LA NIÑA “INGLESA” RAPTADA EN (PORTUGAL)
"AQUI HAY TONGO"
Madeleine MCcann el gobierno portugues y ministro de justicia mas fiscal y el juez toman una alternativa para los "Mccann" no hay cadaver no hay juicio.El juicio de "Marta Del Castillo" no hay cadaver pero se hace justicia......................
Madeleine MCcann En la primera anestesia la niña se despertó cuando se encontró al padre abusando de ella fue golpeada salvajemente por el propio padre al darse cuenta que no era bien recibido y volvió a ser anestesiada de hay la sangre de la niña de los golpes recibidos recordando en todo momento que estaba bajo los efectos del alcohol de hay el ataque cardíaco. Cadena perpetua para Un Pederasta y pedofilo Fueron los padres los asesinos mas torturaban a la niña. Los McCann y sus siete amigos cenaban cada noche durante sus vacaciones en Portugal, incluida aquélla en la que desapareció Madeleine, aseguraron que éstos bebían entre 10 y 12 botellas de vino, a las que precedían cervezas y cócteles durante el aperitivo mas lo que tomaban durante las comidas . kate y Gerri de profesión médicos anestesiaban a Madeleine puesto que lloraba 18 horas al día con mucha regularidad porque tenían en casa a su maltratador era ese el motivo de su llanto y se combirtio en un suplicio o martirio para el matrimonio causa del asesinato premeditado en primer grado aquí no podía haber ningún accidente por exceso de anestesia puesto que los dos son médicos .Estos asesinaron a su hija con premeditación .Los Mccann tenían deudas de tres mensualidades de su hipoteca de tres mil euros mensuales y las cuentas al rojo y se tomaron unas vacaciones veraniegas mas 40 días sin pagar nada por sentirse el director del hotel responsable de la desaparición de Madeleine total unas vacaciones a lo grande y todo a costas del asesinato premeditado en primer grado. No hay ningún retrato robot que valga basta, basta, de tanta comedia la falsa del retrato robot inventado por Remenber de Rokley portavoz del gobierno Británico y periodista que costo un millón y medio de Euros que tubieron que pagarles los Mccann por limpiar el nombre. La verdad de Madeleine MCcann pinchar en parte superior "Noticias"
Número de Pedido: 200912004686
Estado: Aberto
Data: 29 Dez 09 20:48
Assunto: [Abuse] > [Portal SAPO] > [Notícias]
Nome: levante.111
Email: levante.111@gmail.com
Prioridade: Informação
Operador
DIRÉ PARA MI PESAR QUE BÚSCO DE ÉSTE MÚNDO LA HÓNRADEZ Y DIRÉ QUE ÉSTE COMUNICÁDO ESTÁ YÁ EN PUBLICACIÓN DE MÁS DE 600 BLOGG DISTRIBUIDO POR LA CIUDAD DE ALGÁRVE Y PORTUAL ES DE HÓNRADEZ LO QUE ESTOY PUBLICÁNDO CON EL BLÓGG MÁS ANTÍGUOS QUE HOS MANDÉ EN SU TIEMPO MUCHAS GENTES SE QUEDARÓN EN PÁRO EN ALGARVE Y PERDIDAS DE TURÍSMOS POR CÚLPA DE LOS MCCANNES ARROGÁNTES PREPOTENTES GENTÚZAS SÍN ESCRÚPULOS AMBICÍOSOS PEDERÁSTA Y ASESÍNO CASO MADELEINE MCCÁNN...SÍ MADELEINE MCCANN ESTÁ VIVA PERO EN NUESTROS CORAZÓNES.PORTUGÁL TERRA DE TRABALLADORES Y EMIGRÁNTES QUE SÓN LOS QUE LA HÁN LEVÁNTADO.Cuando se descubra la verdad se recuperara el turismo y la alegria de algarve recuperacion de empleos y la normalidad con el mundo.Esta la reputacion de portugal en jaque

Los MCcánn sabén esta publicación.

gracias por el buen recibimiento al creador/a de este magnifico blog y a sus visitantes que tengan un gran año llenos de abundáncias

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"