Número total de visualizações de página

terça-feira, 2 de novembro de 2010

POEMAS

Vou publicar aqui 3 dos poemas declamados no evento que anteriormente falei, mais tarde publicarei outros também ali versados.

POEMA:
HISTÓRIA DA ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA E CULTURAL DE CORTECEGA


Um dia Alguém se lembrou
De um sonho concretizar
Uma casa de convívio
Se tinha que realizar

Esta terra tão festeira
Onde nada parecia impossível
Porque não sonhar um pouco?
E tornar o sonho visível.

Mas, para isso era preciso
Um terreno para a construir
E logo o procuraram
Até o terreno existir

Lugar da Trepadinha
Assim se chama o local
Onde tudo se tornou
Num sonho muito real

No início foi a tia Celeste, o António e a Dina
Que firmes continuaram
Para em frente prosseguir
E a escritura realizaram!

Foi a 22 de Outubro de 1996
Que a escritura se efectuou
A associação estava criada
Mais um passo se realizou!

Agora era preciso
Muito dinheiro angariar
Mas como este povo nunca teve medo
Em frente teve que continuar

Em Góis, mãos à obra puseram
Para a feira dos motards foram vender
Montaram então um restaurante
Para o dinheiro obter

Com a ajuda destes, dinheiro conseguiram angariar
Abençoadas sejam as concentrações
Que ainda hoje passados 15 anos
Nos continuam a ajudar.

A primeira pedra foi colocada com alegria
No início, era uma simples casa convívio
Mas o sonho voou mais alto
E hoje tem também uma hospedaria

O Presidente da Câmara na altura,o Dr. Cabeças.
Colocou a 1ª. Pedra da Associação
Com palavras de esperança
Disse a todos os presentes
Lutem com empenho, alma e coração!

Em conjunto com a Dr.ª. Maria Lurdes
Vereadora da cultura na altura
Pediram para não deixar morrer um projecto
De tamanho envergadura!

Não podemos esquecer os Presidentes
Da nossa Junta de Freguesia
Que monetariamente nos tem ajudado
Sempre com dedicação e simpatia

Não foram fáceis os 14 anos
Que Associação agora comemora
Foram dias e noites sem dormir
E a Tia Celeste a maior dinamizadora

Não podia deixar de falar
Neste ser tão espectacular
Fosse de noite ou de dia
Estava sempre pronta a trabalhar.

Há percalços que sempre acontecem
Em obras com esta dimenção
Dão muitas dores de cabeça
E precisam de gente com garra e ambição.

A Dalila sempre preocupada
Com os eventos a realizar,
Cobra as quotas aos associados
E vê se o dinheiro na conta não está a faltar.

O “tio” Acácio e “tio” Zé
Estão sempre prontos a trabalhar
Abrem a Associação para o café
E mais uns trocos arrecadar

O Empreiteiro desta construção
O nosso José Alvoeiro
Sempre continuou com as obras
Mesmo faltando o dinheiro.

Mais tarde assim como eu
Outras pessoas se juntaram
Para ajudar no que podiam
E pelo mesmo sonho lutaram!

Mas nesta gente toda há sem dúvida
Uma pessoa que também quero destacar
O nosso cozinheiro Zé
Que na cozinha não para de trabalhar

Não esquecendo a Júlia
Boa ajudante e companheira
A tia Celeste telefona
E ela vem logo na carreira!

Durante o ano, faça chuva ou faça sol
Para que os visitantes tenham uma boa estadia
Lá vão as Mulheres da aldeia
Fazer as camas e limpar a hospedaria.

Cada um à sua maneira
Todos foram e são uma pedra importante
Ajudando a concretizar
Este sonho relevante

A todos Amigos e Amigas
Que continuam a trabalhar
Aqui fica esta homenagem singela
Um incentivo para nunca parar.

Eugenia Santa Cruz
31-10-2010


POEMA:

“UMA GRANDE MULHER”

Desta nossa linda terra
Que amamos de coração
Olhamos em frente e vemos
A aldeia do Esporão

Dessa aldeia veio a tia Celeste
A esta terra casar
Abençoado seja esse dia
Pois a esta Aldeia tanto veio dar

Mas não podemos esquecer
Que em Coimbra fica a trabalhar
O seu marido “tio Mário”
Para ela a Cortecega se deslocar

Parabéns à Sr.ª Presidente
Desta linda Associação
Que a esta terra veio dar
Muita e boa animação

São pessoas como esta
Que queremos felicitar
Que muito a ela se deve
Este sonho se concretizar

Cortecega sem a tia Celeste
Não era a mesma, de certeza
Pois, está sempre pronta a ajudar
Fazia falta na realeza

Organiza, trabalha faz de tudo
Boa amiga, boa mãe
Será que há muitas “Celeste”
Prontas a dar o que têm?

Este dar de que falamos
É amizade, amor e carinho
É tempo que rouba ao tempo
Para andar por este caminho

Ao chegar a Cortecega
Olhamos para a nossa Associação
Lembramo-nos logo da tia Celeste
E dos anos de dedicação

Desde o início que está presente
Sempre pronta a ajudar
Foi e é a grande responsável
Por este sonho se concretizar

OBRIGADA tia Celeste
Por tudo, o que a esta terra tem dado
Cortecega não a vai esquecer
E nós estaremos sempre ao seu lado.

Neste dia tão importante
Não podíamos deixar passar
Sem umas letras escrever
Para esta grande MULHER homenagear

Eugénia Santa Cruz
31/10/2010



"POEMA:
" TIA NUNCA DESISTA..."

A vida é para viver,
Sem nunca desistir
Consigo eu estou a aprender
Como é bom persistir

Força da Natureza,
É o que encontro para a definir
Nunca despreza
Nem nunca vai desistir

É a minha tia
Com muito prazer
Temos uma empatia
Que é para sobreviver

Celeste, é o seu nome
O seu espírito é ajudar
Santos, é o sobrenome
O seu sinónimo é amar

Felicidades eu desejo
Para toda a sua vida
Um grande beijo
Para esta pessoa muito querida



31/10/2010
Mónica Bandeira


Sem comentários:

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"