Número total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de maio de 2010

"O DIA DO VIZINHO"


Como tantas outras datas, também houve o dia do vizinho a nível Europeu, este ano foi dia 25 de Maio.
Tantas vezes vive ao nosso lado um ser humano que precisava de uma palavra como por exemplo, um bom-dia, como está, ou simplesmente um minuto da nossa atenção.
Mas infelizmente nem sempre e assim, desculpamo-nos com o corre-corre do dia-a-dia e esquecemo-nos de lhes dar atenção.

Enfim…Ser bom vizinho é uma questão de gentileza, ou seja, devemos cumprimentar nossos vizinhos, manter uma relação de cordialidade e respeito.


Deixo aqui a minha homenagem através deste simples poema a todos os vizinhos, que somos nós...

O dia do vizinho vem Lembrar
O que está esquecido
Ao nosso lado vive um ser
Por vezes muito perdido

Os dias passam a correr
Saímos de casa bem cedinho
Chegamos ao entardecer
Não nos lembramos do vizinho

Ao entrar no nosso prédio
A correr nem reparamos
Que existem vizinhos novos
Mas, nem sequer para eles olhamos

Mais tarde ouvimos dizer!
O vizinho do Direito está doente.
Não ligamos, nem pensamos
Um minuto do nosso tempo perder

Ao nosso lado vive alguém
Que por companhia tem a solidão
Que só de uma voz amiga precisa
Ou de um simples xi coração

Um gesto que é tão simples
Mas que tem tanta importância
E tão fácil se pensarmos
Está a uma porta de distância

Como se fosse mais uma coisa
Muitas vezes, assim é tratado
Bastava-nos bater à porta
E perguntar; como tem passado?

Nas horas de aflição
Batemos à porta a pedir amparo
Mas durante vários meses
Nem um bom dia, nem um reparo

Nesta minha experiência
De contacto com os vizinhos
Percebi que muitos deles
Vivem completamente sozinhos

Tenho saudades dos tempos
Em que vivia na aldeia
As pessoas conhecem-se todas
Levam a vida na brincadeira

Ao chegar à rua dizia-se
Bom dia vizinha!
Bom dia nos dê Deus.
Precisa de alguma coisa?
Para si ou para os seus?

Olá vizinha Maria
Que rico dia de verão
Vou espalhar o milho na eira
Para depois cozer o pão

Ouve-se o cão a ladrar
Espreita-se à porta, é o carteiro
Mais à tardinha tornava a ladrar
Lá vem o carro do peixeiro

Não nos podemos esquecer
Que todos somos vizinhos
A todos pode acontecer
Um dia ficarmos sozinhos




Poema de:
Eugénia Santa Cruz
26/5/2010

2 comentários:

MJ FALCÃO disse...

Muito bem, Eugénia! O dia do vizinho que pode ser "odia do outro": do que está ao nosso ldo e pode até ser um amigo. O rpincipal é falar com ele, tentar compreender os problemas que tem e falar-lhe dos nossos...
Só assim entendo a vida e vejo que tu -minha querida aluna tão saudosa- também fazes o mesmo...
Bjssss
Prof Maria João

Helena Teixeira disse...

Olá!
Aqui em Viseu, o dia do Vizinho passou ao lado...Em Paris, no ano passado, fizeram um convívio no prédio vizinho ao da minha mãe e juntaram-se todos no pátio com petiscos e bebidas.Minha mãe também foi.Achou engraçado :)

Jocas gordas
Lena

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"