Número total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de março de 2011

MÊS DE MARÇO




Entre Março e Abril
O cuco há-de vir
Se ele não vier
Deixa o lavrador a pedir

Se o lavrador pedir
Cabe nos a nós ajudar
Porque se queremos comida na mesa
Nele temos de pensar

Muitas das nossas crianças
Não sabem de onde vem os alimentos
Pois, chegam ao supermercado
E está tudo à sua frente

Em Março começam as grandes sementeiras
Prepara-se as terras para semear
Todos os produtos plantados
A nossa casa vem parar

Mas para isso e preciso
Alguém na terra trabalhar
Para mais tarde enviar aos supermercados
E nós de carrinho na mão, vamos comprar.

Poema de:
Eugénia Cruz
01/03/2011

Sem comentários:

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"