Número total de visualizações de página

quarta-feira, 16 de março de 2011

PASSAGEM DE ANO NOVO EM "CORTECEGA"

Como referi aqui neste blogue dias antes da Passagem do Ano Novo, o mesmo ia ser comemorado na Associação Desportiva e Cultural de Cortecega.
Mas, nunca aqui publiquei se o mesmo tinha corrido bem. Pois, meus amigos só ontem recebi as fotos que podem comprovar que mais uma vez que foi uma noite bem animada e com muita alegria, como esta terra já nos habituou, um sucesso.
Como o ditado diz: “Vale mais tarde que nunca”, Assim, vou publicar aqui algumas fotos para que as possam ver e recordar velhos tempos, como por exemplo depois da meia-noite andar de adega em adega ao toque da concertina festejar o ano novo e beber um copinho.

Obrigada ao grupo de Aveiro, que pelo segundo ano escolhem a nossa aldeia para passar a passagem de Ano. Também ao grupo de Lisboa e a todos os presente.

Espero para o ano poder estar convosco, para partilhar mais uma noite de alegria.



A vista era agradavel...


A Dina tentou, mas para abrir precisou de ajuda...


Toca a dar início ao baile, o tio Acácio toca a concertina.


Todos para a rua.Fazer barulho com as tampas da panela,
espantar o ano velho.

Viva o Ano Novo, 2011 chegou....

A "Tó Zé" fazia anos, foi cantado os parabéns


Chegou a hora de atacar as adegas....

Pelas ruas, tocam a concertina e os bombos


Chegaram à adega, e para não se perder nada
toca a beber pela telha.

2 comentários:

Acácio Moreira disse...

Olá Eugénia !
Boas recordações trazem estas imagens fazem lembrar-me o passado. Muito raras nos dias que correm, a desertificação da nossa região a isso tem obrigado.
Mas há sempre uma excepção, pelo menos em Cortecega.
Parabéns pela vossa divertida vivência na passagem de ano em Cortecega
Então e essa recuperação,espero que esteja a correr bem. E que seja o mais rápida possível
beijo,
Acácio Moreira

Eugénia Santa Cruz disse...

Olá Amigo Acácio!

Obrigada pelas suas palavras, acredite que as lágrimas me vieram aos olhos a ver as fotos, pois fazem recordar bons momentos vividos e que ainda se continuam a viver nas nossas aldeia e este ano não pode partilhar destes momentos.
A minha recuperação está agora finalmente a correr bem, espero em breve regressar ao meu trabalho e fazer uma vida normal.
Um beijo para toda a família
Eugénia

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"