Número total de visualizações de página

domingo, 14 de junho de 2009

ALMOÇO DA AMIZADE "UM DIA BEM PASSADO"

Cheguei à casa de convívio eram 7.30h já lá estava o nosso cozinheiro de serviço o Zé. Já tinha as carnes do cozido quase cozinhadas. Comemos uma sandes daquela bela carne e continuamos, pois o almoço tinha que ser perfeito como sempre. Começaram, a chegar as restantes ajudantes (tia Celeste, tia Irene, Tia Ilda, a Júlia o tio Acácio o tio Zé e muitos mais) naquela aldeia todos ajudam.Por volta das 13:00h começaram a chegar os amigos que se vinham deliciar com o belo almoço. A Dina Neves deu as boas vindas a todos em nome das pessoas da nossa terra.

A ementa foi:
Para entrada, azeitonas, croquetes, rissóis, orelha de porco com coentros e frango frito. Depois foi servido um delicioso cozido à portuguesa, a bela broa, sopa, arroz doce, salada de fruta etc.…(não posso esquecer que as batata foram arrancadas da terra de manhã cedinho pela tia Celeste da sua Horta assim como as couves e as alfaces, tudo bem fresquinho) posso dizer que o almoço estava divino.

Este almoço pode contar com a presença do Presidente da Junta de Freguesia de Góis, que muito tem contribuído para esta casa. Assim como vários conterrâneos do nosso concelho.
Durante a tarde foi lido um poema sobre a amizade por uma das meninas desta terra a Rafaela, foi lida também uma carta que tinha sido enviada aos sócios que em síntese explicava um pouco da história desta Associação.Foi mostrado um Power feito pela Mónica, onde falava sobre a amizade e sobre a história da nossa aldeia.

A Drª. Lurdes Castanheira (pessoa muito querida nesta terra) não deixou de passar por esta casa que também conhece, assim como os seus acompanhantes, pedindo desculpa por não terem estado presentes no almoço mas já tinham assumido outros compromisso, (não faz mal Dra. Lurdes vale a intenção).

O dia terminou já a altas horas com o Paulo a tocar concertina a Mónica e a Rafaela a acompanhar (não podia deixar de haver um fado ao som da concertina, não fosse ali Cortecega).
Correu todo muito bem, Obrigada a todos. E não se esqueçam CORTECEGA ESTÁ SEMPRE DE BRAÇOS ABERTOS PARA RECEBER OS SEUS AMIGOS.Aqui ficam Algumas fotos deste dia.










Sem comentários:

A MINHA ALDEIA

" Da minha aldeia vejo quando da terra se pode ver no Universo....
Por isso a minha aldeia é grande como outra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...

Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.
Na cidade as grandes casas fecham a vista a chave,
Escondem o horizonte, empurram nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a única riqueza é ver. "
Alberto Caeiro, em "O Guardador de Rebanhos"